Tratamento

Atendimento Masculino e Feminino

TRATAMENTO PARA DEPENDÊNCIA QUÍMICA MASCULINA

A Clínica Grand House oferece o que há de melhor e mais moderno em tratamentos de dependência química. Contamos com um serviço especializado e programas terapêuticos com uma filosofia voltada exclusivamente à recuperação, onde contamos com a dedicação e apoio de profissionais com altíssimo nível de qualificação.

Os tratamentos para a dependência química realizados na Grand House são diferenciados, levando em consideração os perfis e necessidades dos pacientes por nós atendidos. Nosso Projeto Terapêutico busca levar o paciente a entender sua realidade interior, resgatar sua autoestima e assim se reinserir e se readequar à sociedade.

A Clínica Grand House possui abordagem específica para o público masculino que, atuante nesta área há 15 anos, tem se tornado referência no país em tratamento para dependência química e possui ampla experiência para atender este complexo universo.

 

TRATAMENTO PARA DEPENDÊNCIA QUÍMICA FEMININA

Devido à crescente necessidade atual da nossa sociedade, contamos agora com uma ALA restrita e exclusiva para público feminino, onde o foco está nas questões que abrangem este universo.

A dependência química nas mulheres possui características diferentes das dos homens pois o organismo reage de maneira diferenciada em relação às drogas.

As diferenças fisiológicas levam a mulher a uma vulnerabilidade maior para todas as drogas. As mulheres têm mais gordura corpórea proporcionalmente a água e apresentam níveis menores de enzima álcool-desidrogenase (enzima que ajuda a metabolizar o álcool ingerido), o que faz com que elas absorvam 30% mais do álcool ingerido que os homens e apresentem uma alcoolemia maior.

Com isso, as mulheres dependentes de drogas ou álcool têm cerca de 1,5 a 2 vezes mais chances do que os homens de contraírem complicações clínicas. Doenças como pancreatite, cirrose e neuropatias aparecem de forma mais grave nelas do que neles. Por isto, a idade média de vida das mulheres diminui cerca de 15 anos.

Outro agravante são os problemas obstétricos e a síndrome fetal pelo uso de álcool (SFA), que causam frequentemente má formação e retardo mental em recém-nascidos.

São variadas e diferenciadas também as questões emocionais e razões para início e manutenção do consumo de álcool e outras drogas em relação ao universo feminino. Diferentemente dos homens, estudos demonstram que o consumo feminino ocorre, em muitos casos, com o objetivo de diminuir a insatisfação com a vida que levam ou por conta de desilusões. Também há muitos casos de dificuldades de relacionamento interpessoal e impulsividade.

Por todos estes motivos, desenvolvemos uma programação com metodologias específicas aplicadas por excelentes profissionais, afim de reabilitar a paciente e melhorar a qualidade de vida, bem-estar, autoestima, proporcionando assim uma completa reintegração à sociedade e ao ambiente familiar (onde muitas vezes também ocorre a complexidade de lidar com a maternidade).